sexta-feira, 24 de junho de 2016

São Pedro, São João,São Antonio... Santos Juninos Atividades de Catequese

Junho comemoramos vários Santos Juninos!
Cada um de nós é a lenha de Deus. Ele vai atear em nós o seu fogo que é o Espírito Santo. É o amor. É o que deve incendiar a escola, a família e o mundo. Somos lenha disponível. Senhor, enviai o vosso fogo, para que incendiemos a sociedade pela amizade e paz.
Não queremos ser cinzas mortas. Nem brasas escondidas. Nem lenha inútil. Nem fogueiras devastadoras. Nem fogo apagado pelos bombeiros. Queremos ser fogo iluminador. Brasas acesas. Fogueiras vivas e anunciadoras da paz. Senhor, obrigado pelo fogo do amor que acendestes em nós. (Pe Bernardo Cansi)
Atividades de Fé e Amor:

Jesus nos diz: "Vós sois a luz do mundo". Somos a fogueira do mundo. Somos o fogo do mundo pelo amor. Somos a luz do mundo!!
Abraço Fraterno e Abençoado dia com muitas alegrias!!
Com Carinho, Sueli
Catequese Infantil - Pãozinho do Céu Maria

Santos Juninos: Festa Junina


Você sabe porque as festa juninas se chamam festa juninas?
Porque são as três festa da Igreja comemorada no mês de Junho.

De Santo Antonio no dia 13 de junho
De São João no dia 24 de  junho e
de São Pedro no dia 29 de junho

As comemorações juninas tiveram inicio a muito seculos na Europa, antigamente no dia 24 de junho era comemorado pelos pagãos a festa de solstício de verão,  o dia mais longo do ano que marcava o inicio da época do plantio. Na idade média a festa passou ser chamada joanina por causa do dia de São João comemorado no mesmo dia 24, mais tarde passaram a comemorar as festas dos três santos que ficaram conhecidas popularmente de festas juninas, festas do mês de junho.


As fogueiras também faziam parte das comemorações do solstício de verão, e aos poucos o simbolo passou a ser  incorporado na festa de São João. 


Os fogos de artifícios foram trazidos para o Brasil pelos portugueses que segunda a tradição popular serviam para despertar São João Batista. Na tradição os balões também serviam para avisar o povo que a festa estava começando.

A dança das quadrilhas também foi trazidas pelo portugueses no seculo XIX , mas a dança tem sua origem na quadrilha, uma dança francesa popular no meios aristocrático no século XVII, como a moda de Paris era imitada em toda Europa no seculo XIX a elite portuguesa trouxe a dança para o Brasil, que logo se fundiu com as danças locais ficando mais conhecidas nas zonas rurais, aos poucos a quadrinha foi se tornando  uma dança tipica das festa juninas.

O casal de noivos também faz parte da tradição europeia, ligada as aspirações matrimoniais nas festa de Santo Antonio e São João. Essas união das festa dos três Santos, mas quadrilha e fogueira é a festa junina que comemoramos todos os anos.

Fonte: TV ARAUTOS

Abençoado dia!!
Abraço Fraterno!
Sueli
Catequese Infantil - Pãozinho do Céu Maria

Evangelho do 13º Domingo do Tempo Comum: Lucas 9, 51-62 - Reflexão

    O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós!
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor!
51Estava chegando o tempo de Jesus ser levado para o céu. Então ele tomou a firme decisão de partir para Jerusalém 52e enviou mensageiros à sua frente.
Estes puseram-se a caminho e entraram num povoado de samaritanos, para preparar hospedagem para Jesus. 53Mas os samaritanos não o receberam, pois Jesus dava a impressão de que ia a Jerusalém.
54Vendo isso, os discípulos Tiago e João disseram: “Senhor, queres que mandemos descer fogo do céu para destruí-los?”
55Jesus, porém, voltou-se e repreendeu-os. 56E partiram para outro povoado.
57Enquanto estavam caminhando, alguém na estrada disse a Jesus: “Eu te seguirei para onde quer que fores”.
58Jesus lhe respondeu: “As raposas têm tocas e os pássaros têm ninhos; mas o Filho do Homem não tem onde repousar a cabeça”.
59Jesus disse a outro: “Segue-me”.
Este respondeu: “Deixa-me primeiro ir enterrar meu pai”.
60Jesus respondeu: “Deixa que os mortos enterrem os seus mortos; mas tu, vai anunciar o Reino de Deus”.
61Um outro ainda lhe disse: “Eu te seguirei, Senhor, mas deixa-me primeiro despedir-me dos meus familiares”.
62Jesus, porém, respondeu-lhe: “Quem põe a mão no arado e olha para trás não está apto para o Reino de Deus”.
— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.
“O FILHO DO HOMEM NÃO TEM ONDE REPOUSAR A CABEÇA.” - Olivia Coutinho.

13º DOMINGO DO TEMPO COMUM

Dia 26 de Junho de 2016

Evangelho de Lc9,51-62

O Evangelho que a liturgia de hoje nos convida a refletir, é composto de duas partes. Na primeira parte, somos convidados a meditar sobre o início da caminhada de Jesus, rumo a Jerusalém! A caminho da morte, Jesus  ia  ensinando os discípulos o caminho da vida!
Como qualquer um de nós, os discípulos queriam facilidades, eles pensavam, que com Jesus, os seus caminhos estariam abertos, mas Jesus lhes diz o contrário: o caminho precisava ser feito!
Os discípulos viam em Jesus um Rei, um Rei que iria enfrentar os seus  inimigos com severidade, como faziam os  reis daquela época.  Na mente deles, os inimigos seriam  vencidos pela força física, mas Jesus lhes mostra o contrário ao repreendê-los, quando  eles, (Tiago e João) quiseram responder com violência a um desagravo por parte dos samaritanos.  Foi surpreendente para os discípulos, a forma de Jesus lidar com as ofensas, diferente deles, que eram  acostumados com o revide. A partir então, eles  começaram a entender as exigências do seguimento a Jesus, um entendimento que foi acontecendo através de um processo lento.
Com este episódio, Jesus deixou claro para os discípulos e hoje para nós, que na dinâmica do Reino não cabe vingança!
A segunda parte do evangelho,  nos apresenta três situações que nos mostram claramente, que não basta querer seguir Jesus, é preciso se enquadrar nas exigências deste seguimento! Na primeira situação, alguém manifesta seu desejo em seguir Jesus, mas não se dá conta da dimensão deste seguimento: “Eu te seguirei para  onde quer que fores.”  Na segunda situação, alguém é convidado a segui-lo, e  este, pede tempo: “Deixe-me primeiro ir enterrar meu pai.”  E na terceira situação, tudo se repete: alguém adia o seguimento a Jesus, com mais uma desculpa: “Eu te seguirei Senhor, mas deixa-me  primeiro despedir dos meu familiares.” Jesus, aproveita estas três situações, que retrata a postura de muitos mediante ao seu chamado,  para  nos deixar uma mensagem muito clara: o seguimento a  Ele, é exigente, implica em mudança radical de vida,  exige de nós muito mais do que boa vontade, do que entusiasmo, exige compromisso, fidelidade, desprendimento, disposição em  deixar muitas coisas para trás!
Estas três situações, chama a atenção de muitos de nós, que manifestamos o desejo de seguir Jesus, mas ficamos sempre adiando este seguimento,  nos escondendo atrás das mais variadas desculpas: vou aceitar o chamado de  Jesus, depois de terminar  meus estudos, depois que meus filhos crescerem, quando eu  me aposentar... E assim, vamos perdendo a oportunidade de viver  uma intimidade profunda com Jesus no serviço prestado ao Reino,  esquecendo,  de que o nosso tempo de vida terrena é curto e que às vezes, nem haja mais tempo para um novo chamado Dele!
Nossa opção por Jesus,  não pode subordinar-se a nenhuma outra, por isso, quem deseja de fato segui-Lo, deve apresentar-se a Ele completamente livre de qualquer apego.
O primeiro passo de quem quer seguir Jesus de fato, consiste em renunciar a si mesmo, em colocar o seguimento a Ele como prioridade absoluta em sua vida.
Jesus é o nosso modelo de vida, Ele é o caminho a verdade e a vida, a nossa opção por Ele tem que ser radical, do contrário, ficamos na superficialidade da fé, não adentramos na dinâmica do Reino!
Em momento algum, Jesus  iludiu os seus seguidores com facilidades, Ele sempre deixou claro que a caminhada do discípulo é desafiadora! Desafiadora, mas gratificante, pois quem o segue, terá como recompensa a vida eterna, vida eterna, que já podemos começar a usufruir no aqui e no agora, pois quem vive em Jesus e Jesus vive nele, já experimenta aqui na terra o gosto da vida em plenitude! 

FIQUE NA PAZ DE JESUS! – Olívia Coutinho
Venha fazer parte do meu grupo de reflexão no Facebook:

sexta-feira, 17 de junho de 2016

Santo Junino: São João Batista

Dia 24 de Junho dia de alegria e muita oração é dia de São João Batista

João Batista, o Precursor de Cristo!!

Para mostrar como devia ser admirável e com uma missão importante, João nasceu duma mãe estéril e já de idade avançada. O seu nascimento, mostrou que devia ser homem admirado e fora do comum. Foi chamado de "Novo Elias". Tanto seu nascimento, como sua tarefa são anunciados por anjos. Isto é mais uma prova de excepcionalidade na vida de João. 
Dava testemunho de Cristo, e preparava as pessoas para a chegada de Jesus
"Eu vos batizo com água, mas eis que vem outro mais forte de que eu, a quem não sou digno de lhe desatar a correia do calçado" (Lc 3, 15-16)

João não era a Luz, mas o testemunho da Luz"

João veio para anunciar o que havia de vir: uma grande luz: Cristo, a luz dos povos. Não era a luz, mas testemunho da verdadeira luz. E quando veio a luz, muitos preferiram as trevas (Jo 1,7ss)

Atividades de Fé e amor




CLIQUE AQUI PARA ATIVIDADES JOÃO BATISTA

Abraço Fraterno!!
Sueli
Pãozinho do Céu Maria